Kotosh é um complexo arqueológico com mais de 4 mil anos e é composto por três templos: Nichitos, Blanco e Manos Cruzadas.

A Zona Arqueológica Monumental de Kotosh está localizada a 5 km a oeste da cidade de Huánuco. O nome de Kotosh vem de Quechua "Coto", que significa "monte de pedras".

Três templos compõem este imponente complexo arqueológico que tem mais de 4.000 anos: Nichitos, Blanco e Manos Cruzadas. Estes templos apresentam cinco nichos e nas laterais do nicho maior está o Templo de las Manos Cruzadas, que leva o nome de duas esculturas que o adornam e representam a dualidade na cosmovisão dos antigos habitantes. Em 1960, o arqueólogo japonês Seiichi Izumi dirigiu escavações em Kotosh e descobriu o edifício com as mãos cruzadas.

Kotosh é a mais antiga evidência de arquitetura pública e cerimonial nos Andes, especialmente a partir da era pré-cerâmica, que data entre os anos 4.000 aC. e 2.000 a.C. Faz parte da Tradição Mito e tem um ponto magnético que amplifica a voz do visitante na frente de outros equidistantes a ele.