O Parque Nacional Yanachaga Chemillén é um lugar perfeito para descobrir a vida silvestre em situ e conhecer como é a selva peruana.

O Parque Nacional Yanachaga Chemillén está localizado no departamento de Pasco, província de Oxapampa, compreendendo os distritos de Oxapampa, Villa Rica, Huancabamba, Pozuzo e Palcazú. Além disso, é reconhecido como Zona Núcleo de Reserva da Biosfera pela UNESCO desde 2010. Está a 62 quilômetros ao norte de Oxapampa, uma viagem que leva 2 horas de carro.
 
Está no meio da Cordilheira Yanachaga, a leste dos Andes, que era considerado sagrado para os Yáneshas ou Amueshuas. Desta forma, deve o seu nome à cor das suas montanhas: yanachaga, que significa "negra" em quíchua e; chemillén, "queimado" em yánesha.
 
Com uma área de 122.000 hectares, é um dos parques nacionais mais importantes do país e foi criado em 29 de Agosto de 1986. As suas altitudes variam de 460 metros até os 3.643 metros acima do nível do mar e tem ecossistemas de punas altoandinas, florestas tropicais, florestas de nevoeiro e pastagens expostas ou pradarias. O objetivo de sua criação é a conservação das bacias altas dos afluentes dos rios Palcazú, Huancabamba e Pozuzo.
 
A flora de Yanachaga Chemillén é considerada uma das mais diversas do país destacando árvores como a uculmano, a nogueira,o carvalho,o diabo forte e o cedro, bem como musgos, liquens, samambaias, orquídeas, bromélias, arbustos e canaviais. É um espaço considerado um "refúgio do Pleistoceno".
 
Este parque protege mais de 1.000 espécies de animais, tanto andinas como de selva alta. A fauna silvestre é representada por 59 espécies de mamíferos (como a lontra do rio, o jaguar, o urso de óculos, o veado anão, machetero e o manco, todas ameaçadas de extinção), 427 espécies de aves (como a águia Harpia, o galo das rochas ou Tunki, relojoeiro, quetzal e toucanetas de altura), 31 espécies de peixe (tais como corvina, papaterra e liza) e 16 espécies de répteis (tais como lamón, jergón, surucucu e o naka naka).
 
Muitos turistas procuram compartilhar o modo de vida dos yáneshas, ​​que criaram vários circuitos para caminhar e navegar na área. É habitado por cerca de 60 comunidades yáneshas, ​​nativos que cuidaram do meio ambiente e proibiram a caça no local. Existem rotas turísticas habilitadas nos setores de Huampal, San Alberto e San Daniel.
 
Por sua vez, no Parque Nacional Yanachaga Chemillén existem três circuitos principais:
- Circuito Oxapampa - Huancabamba - Pozuzo: ideal para observar orquídeas e o galo das rochas.
- Circuito Palcazú: onde você vai visitar as comunidades nativas da etinia yanesha e os colonos de origem austro-alemã.
- Circuito especializado San Alberto - Paujíl: caracterizado por florestas enevoadas.
 
Quando ir
A melhor época para visitar é de abril a novembro, que é a estação seca, sendo os melhores meses de junho a meados de outubro. Evite os meses chuvosos, que vão de novembro a abril.
 
O horário de visita é de segunda a domingo, das 6:00 às 16:00. Os bilhetes de entrada você deve comprá-los com antecedência, porque para entrar se deve conseguir uma autorização em seus escritórios em Oxapampa (Jr. Pozuzo quadra 3 s / n).
 
Clima
Tem uma diversidade climática devido à variedade de ecossistemas da área, destacam-se três tipos de climas: clima quente e úmido, clima temperado e chuvoso e clima frio. A temperatura varia entre 6°C e 26°C. A estação chuvosa vai de novembro a abril, com uma precipitação anual entre 1.500 e 6.000 mm.
 
Como chegar lá
Via bimodal: você também pode chegar por via aérea a San Ramón e depois pegar a rota La Merced - Chanchamayo. Outra opção é contratar aerotaxis para Oxapampa - Pozuzo (setor ocidental) e Iscozacin (setor oriental).
 
Via terrestre: de Lima a Oxapampa, 11 horas e meia, seguindo pela Rodovia Central. Você deve entrar pelo setor ocidental do parque em uma destas duas opções:
- Lima - La Oroya (180 km) - Tarma (68 km) - Merced (74 km) - Oxapampa (78 km) - Pozuzo (80 km).
- Lima - La Oroya (180 km) - Tarma (68 km) - Merced (74 km) - Villa Rica (54 km) - Iscozacin (114 km).